Interesse de Pesquisa dos Docentes

Joel Felipe Guindani

Produção audiovisual como lugar de cidadania, memória e identidade:

Compreender as produções audiovisuais (analógica ou digital) e as características sociotécnicas que as constituem produtos e produtoras de cidadania, memória e identidade a partir de atividades criativas e culturais. Também visa perceber as produções audiovisuais resultantes de processos estéticos como narrativa de experiência artística situada na perspectiva filosófica e culturológica. Pesquisa as produções audiovisuais a partir de experimentos e aplicações metodológicas que priorizem a observação participante ou a interação colaborativa em lugares de práticas comunitárias, de movimentos sociais ou em contextos sociais onde sujeitos são produtores de atividades criativas e culturais com vistas à construção da cidadania, memória e identidade.

 Renata Patricia Corrêa Coutinho

Processos criativos na/da indústria da comunicação:

Abriga estudos que estabeleçam como foco os processos e os produtos desenvolvidos na/pela indústria da comunicação. Com o objetivo de compreender a constituição deste importante setor da indústria criativa, os trabalhos realizados sob essa orientação buscam identificar as práticas profissionais atreladas à publicidade e, as ações estratégicas implementadas em um cenário predominantemente habitado por conteúdos multiplataforma concebidos pela fusão de múltiplas linguagens.

Comunicação e sociedade:

Acolhe estudos que objetivem desenvolver conhecimento relativo à relevância social da comunicação, compreendida como atividade que articula aspectos culturais, sociais, educativos e econômicos visando, a partir do potencial crítico de suas produções, atuar propositivamente na solução de problemas da sociedade, considerando entre eles a geração de alternativas econômicas para variados setores (entre eles instituições sem fins lucrativos). Entende-se aqui, a comunicação como interventora nos processos sociais, podendo ser percebida, nesta perspectiva, como agente transformador de realidades a partir da dimensão política da produção e circulação de seus conteúdos.

Vivian de Carvalho Belochio

Produtos inovadores da indústria criativa em múltiplas plataformas de mídia:

No cenário da cultura da convergência, descrito por Jenkins (2008) como realidade marcada pela alteração do comportamento dos públicos no acesso e consumo de informações e entretenimento, tornou-se corriqueira a utilização de diferentes plataformas de mídia no cotidiano dos cidadãos. Igualmente, a manifestação dos públicos em diferentes espaços em redes digitais complexifica a ecologia midiática atual (DALL’AGNESE; BARICHELLO, 2017; CANAVILHAS, 2015). Mentalidades transmidiáticas (JENKINS, 2008) naturalizam a projeção e oferta de conteúdos em múltiplas plataformas. Com isso, modificam-se, nesse cenário, as estratégias de organizações midiáticas reconhecidas e tradicionais e as ações dos consumidores. A variedade de materiais em distintas mídias impulsiona transformações em sistemas comunicacionais consolidados, alterando as características mercadológicas e sociais das trocas estabelecidas. A partir disso, as particularidades de elementos e iniciativas da indústria criativa também podem estar se modificando, atendendo demandas características da realidade descrita, bem como gerando diferentes objetos culturais da indústria criativa (BENDASSOLI et. al., 2009). Isso num espaço paralelo, materializado pela atuação de indivíduos e organizações mediante a apropriação de funcionalidades e potencialidades de determinadas plataformas em redes digitais. Considerando a conjuntura descrita até aqui, interessam projetos do Jornalismo, da Publicidade e do Design focados na experimentação por meio da elaboração de produtos em multiplataformas, como mídias sociais digitais, mídias móveis (tablets, smartphones, wearables), Web. Também interessam projetos que propõem estratégias multiplataforma envolvendo a internet das coisas, narrativa transmidiática, comunicação ubíqua, sistemas de dados e mídias locativas, sistemas colaborativos, produção coletiva de dados, contratos de comunicação em plataformas inovadoras, entre outros.

 

Alciane Nolibos Baccin

Na comunicação existem várias maneiras de abordar a inovação, desde referência às transformações no processo produtivo e às alterações nas rotinas e perfis profissionais até às mudanças tecnológicas e aos novos produtos e formatos. Somada a isso, ainda estão as possibilidades advindas com as mídias digitais e as transformações contínuas do ambiente digital que têm proporcionado mudanças e impulsionado a inovação em várias práticas de comunicação, por isso nos interessa dominar saberes que favoreçam a produção de conteúdo interativo e dinâmico. Logo, nosso interesse de pesquisa reside em reconhecer e investigar processos e produtos inovadores nas narrativas digitais construídas, seja pela mídia ou por organizações, impulsionados pelas várias formas de abordagem da inovação. São assim acolhidos projetos que estudem e/ou desenvolvam produtos utilizando tecnologias digitais em narrativas hipermidiáticas e interativas, como aplicativos interativos e imagem 360o.

Carmen Regina Abreu Gonçalves

O campo da cultura tem significado e importância estratégica para o desenvolvimento do Brasil. Assim como o campo da comunicação. Após um período de avanços reais as políticas culturais brasileiras estão estagnadas. O Ministério da Cultura foi extinto, no início de 2019. Os desafios são muitos. O contexto social, econômico, político e cultural do país não permite que se acredite em uma retomada das políticas públicas culturais em um curto prazo. Este cenário reflete diretamente nas ações culturais desenvolvidas nos estados e municípios. Neste sentido, é preciso que a sociedade esteja atenta a temas como inclusão social, democratização cultural e diversidade cultural. Assim, interessa, principalmente, propostas de pesquisas, processos/produtos na área da comunicação e indústria criativa que dialoguem com os temas: políticas culturais, gênero, preservação da memória e patrimônio cultural.

Gabriel Sausen Feil

Texto e Diferença – Estudos em Roland Barthes e em Gilles Deleuze (Linha constitutiva do Grupo de Pesquisa t3xto)

Compõe-se de três núcleos: (1) “Noção de Texto em Barthes”, (2) “Conceitos deleuzianos” e (3) “Atividades comunicacionais-máquina de guerra”. Os dois primeiros possuem objetivos teórico-conceituais; o terceiro explora três frentes: (a) estudar os conceitos de máquina de guerra, afecto e experiência estética; (b) realizar inflexão epistemológica em que propõe o conceito de atividades comunicacionais-máquina de guerra; e (c) experimentar/analisar atividades desse tipo, o que envolve o afecto e a experiência estética.

Comunicação para a indústria criativa (Linha constitutiva do PPGCIC)

Ver descrição da LP 02.

 

Juliana Zanini Salbego

Os processos de criação em âmbitos diversos da comunicação:

Pesquisas que envolvam processos criativos relativos à publicidade, ao design e diferentes tipos e produtos de mídias e suas inter-relações com a indústria criativa. Pesquisas que envolvam criação, produção e consumo de marcas, na sua dinâmica de identidade e imagem. O consumo, em seus aspectos culturais, econômicos, políticos e tecnológicos e seus impactos na sociedade contemporânea. O consumo relacionado às temáticas de diversidade social.

A comunicação relacionada à educação e à cultura visual:

Pesquisas que coloquem em foco a educação para a cultura visual e suas inter-relações com a comunicação e a indústria criativa. Estudos que problematizem e aproximem os atores dos diferentes níveis de ensino e ambientes educativos no fomento à formação de docentes de ensino básico, médio e\ou superior relativos a uma educação para a cultura visual.  Processos educacionais relacionados às dinâmicas de uma educação para a mídia e visualidades.

Marcela Guimarães e Silva

Investigações na área da comunicação de modo articulado com a indústria criativa na perspectiva da criação, constituição e manutenção de espaços sociais, contemporaneamente reconhecidos como ambientes de inovação e criatividade. Estudos sobre a comunicação enquanto processos e tecnologias integrados aos movimentos maker e coworking. Pesquisas em comunicação orientadas para a inovação social e tecnológica, por seus processos, produtos e profissionais nos espaços sociais da indústria criativa, com ênfase nas relações públicas, publicidade e propaganda e jornalismo.

Rafael Foletto

Destaca-se, enquanto áreas de interesse e pesquisa os Estudos de Recepção e consumo midiático, a comunicação rural e a sustentabilidade, a comunicação política e a transformação social e a interculturalidade e a alteridade na produção audiovisual. Desse modo, busca-se compreender a trilha dos processos midiáticos em toda a sua extensão e inter-relação, compreendendo a produção de sentidos de forma ampla, tanto na construção dos textos/discursos, quanto nas leituras e vivências dos sujeitos. Sendo assim, observa-se a comunicação como espaço de exercício de criatividade e de resistência, buscando a construção de modelos e concepções alternativas, de modo a romper com narrativas únicas e, assim, possibilitar a diversificação de saberes e formas de identificação, análise e avaliação das práticas, enfim, de modo a destacar a complexidade dos sujeitos ressaltando, por exemplo, suas diversidades socioculturais.