História

A criação do curso de Pós-Graduação em Comunicação e Indústria Criativa, no campus São Borja da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), tem a sua origem entrelaçada à história do referido campus. Em 2005, como resultado das reivindicações da comunidade regional pela ampliação do ensino superior, o Ministério da Educação (MEC) apresentou o Consórcio Universitário da Metade Sul, para implantação de uma universidade no interior do estado do Rio Grande do Sul. Esse consórcio foi firmado mediante a assinatura do Acordo de Cooperação Técnica do MEC com a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e a Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Assim, com o formato multicampi, a UNIPAMPA se estabeleceu em dez municípios do Estado. À UFSM coube implantar os campi em Alegrete, Itaqui, São Gabriel, São Borja e Uruguaiana; e à UFPel os campi de Bagé, Caçapava do Sul, Dom Pedrito, Jaguarão e Santana do Livramento. Sendo essas universidades responsáveis diretas pela criação dos primeiros cursos nos campi.

Em 2006, quando a UNIPAMPA iniciou as atividades em São Borja, um dos primeiros cursos ofertados foi o de Jornalismo, com o apoio dos professores do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e de graduação em Jornalismo da UFSM. Em 2009, iniciaram-se as atividades do curso de Publicidade e Propaganda e no ano seguinte o curso de Relações Públicas com ênfase em Produção Cultural.
 Desta trajetória um coletivo de docentes – vinculados aos cursos de graduação na área da Comunicação Social do campus São Borja – iniciou a construção de uma proposta capaz de reunir e articular as pesquisas e estudos realizados por três grupos de pesquisa certificados pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) do campus: Jornalismo em Redes e Convergência; Processos e Práticas nas Atividades Criativas e Culturais (GPAC); e t3xto. Esses grupos de pesquisa também aglutinam pesquisadores de outras instituições de ensino, que possuem projetos e trabalhos identificados com comunicação e indústria criativa.

No ano de 2013 foi criado o Observatório Missioneiro de Atividades Criativas e Culturais – OMiCult, com o objetivo de organizar, difundir e fomentar estudos e pesquisas locais e regionais sobre as atividades criativas e culturais, através de ações pautadas pela pesquisa, pelo ensino e pela extensão. 
Desde 2013 a busca por uma integração regional pautou as ações do OMiCult.

Já em 2015, a partir do trabalho articulado entre os grupos de pesquisa, foi criado o curso de Pós-Graduação, lato sensu, em Atividades Criativas e Culturais, principal fator que motivou a proposição de um curso de Pós-Graduação, stricto sensu, em Comunicação e Indústria Criativa. Especialização que se constituiu como um dos resultados do processo de amadurecimento pedagógico com fins profissionais para os discentes participantes.

Ainda em 2015 os grupos de pesquisa, o observatório e a Especialização em Atividades Criativas e Culturais realizaram o 1º Encontro Missioneiro de Estudos Interdisciplinares em Cultura – EMiCult. Este evento reuniu pesquisadores, acadêmicos, agentes públicos e produtores culturais de diversas instituições do estado, propiciando o debate sobre políticas culturais, desenvolvimento regional e atuação profissional (3a Edição será no município de Santo Ângelo, com o objetivo de regionalizar o debate científico).

Desta forma, os projetos desenvolvidos pelos pesquisadores do PPGCIC são resultados do comprometimento do coletivo de docentes mediante a necessária “responsabilidade e inserção social dos programas junto as suas comunidades e regiões” (CAPES, 2013, p. 10).
 A partir desse contexto, percebe-se que o Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Indústria Criativa – Mestrado Profissional, objetiva atender e corresponder às principais demandas do contexto regional e também nacional, contribuindo com o processo de desenvolvimento por meio da capacitação de seus atores territoriais estratégicos.