Monitorias

MONITORIA NAS PRÁTICAS PERCUSSIVAS – 2ª edição

Coordenador: prof. Matheus Leite

Período: 01/05/2018 – 15/12/2018

O presente projeto de monitoria pretende tornar a monitoria como parte integrante do processo de ensino e aprendizagem, inserido no projeto de formação do aluno, em meio à contribuição que esse aluno oferece ao projeto de formação dos demais. Trata-se de uma segunda edição a qual assume papel preponderante nas atividades do curso de Licenciatura em Música da UNIPAMPA em especial nas atividades relacionadas à Percussão. A proposta pretende auxiliar no desenvolvimento dos componentes curriculares indicados potencializando o trabalho na experimentação de ritmos e instrumentos de percussão, suas técnicas e possibilidades metodológicas bem como o aprofundamento nos conhecimentos teórico-práticos em que o monitor estiver envolvido. Além da contribuição com a qualidade do ensino na graduação ao apoiar professores e estudantes no desenvolvimento do processo de ensino e aprendizagem o projeto também servirá como aporte na implementação do Programa de Extensão Pampa Percussivo o qual será executado ao longo do ano de 2018. O programa de extensão prevê uma série ações e atividades formativas por meio de oficinas e recitais onde o aluno monitor também poderá fazer parte da equipe executora. A proposta – Monitoria nas Práticas Percussivas – 2ª edição, busca ainda incentivar a formação do estudante para o exercício de atividades concernentes ao processo de ensino e aprendizagem como também despertar o interesse nos demais discentes para futuros engajamentos nesta perspectiva.

ANO DE 2017


MONITORIA NAS PRÁTICAS PERCUSSIVAS

Coordenador: prof. Matheus Leite

Conforme consta no PPC do Curso de Licenciatura em Música, pela forma como o licenciando ingressa na UNIPAMPA, qual seja, o SiSU e demais formas complementares, dentre elas a de portador de diploma, como acontece com a maioria dos acadêmicos ingressantes no Curso de Música, o referido curso não prevê prova de habilitação específica em fundamentos teóricos e práticos da música. Embora tenhamos a Lei federal 11.769/08, que prevê o conteúdo música como obrigatório na educação básica, ainda não existe estudo de música sistematizado no referido nível de ensino. No entendimento do Curso de Música, uma prova de habilitação específica não contempla a diversidade cultural de formação musical dos licenciandos que ingressam, correndo-se o risco de avaliarmos apenas uma determinada manifestação musical em detrimento de outras.
O licenciando que já tenha conhecimento prévio e proficiência em um dos instrumentos ofertados obrigatoriamente pelo Curso de Música, poderá obter avanço no currículo relativo à prática instrumental, mediante prova prática que ateste seus conhecimentos e habilidades. Para essa avaliação será composta uma banca de até quatro professores do Curso, sendo um deles o próprio docente do instrumento musical em questão. O avanço nos componentes curriculares dependerá do nível em que o licenciando se encontra em relação ao currículo do curso e deverá ser aprovado em reunião da Comissão de Curso.
Para atendimento aos discentes, os componentes de prática instrumental (piano, violão, percussão, flauta doce) foram concebidos de forma a privilegiar um atendimento qualitativo corroborando com os apontamentos sobre a relação aluno-professor indicados pelo Ministério da Educação. Assim, esses componentes acontecem através de aulas coletivas de instrumento musical, porém objetivando o respeito aos diferentes processos e tempos de aprendizagem específica da linguagem e técnica musical de cada instrumento. Portanto, se faz necessário criar pelo menos duas turmas para cada um dos componentes curriculares referentes às práticas instrumentais e/ou criar, condições de atendimento aos discentes para que seja possível contemplar tamanha diversidade de experiências musicais em sala de aula, razão pela qual se justifica a necessidade de implementação do referido projeto de monitoria.
Atualmente os componentes curriculares relacionados neste projeto, ou seja, o “universo percussivo” vem sendo estruturados de modo que o trabalho em sala de aula privilegie as práticas coletivas. O Ensino Coletivo de Instrumento Musical pode ser uma importante ferramenta para o processo de socialização do ensino musical, democratizando o acesso do cidadão a ação musical (CRUVINEL, 2005). Outro ponto importante a ser mencionado se refere a futura atuação dos licenciandos em diferentes espaços e contextos educacionais, enfrentando em sua prática docente o desafio de lidar com situações de ensino musical com amplos grupos de alunos, os quais, por vezes, superando o número de trinta alunos simultâneos em sala, o que justifica a experimentação de práticas pedagógicas nesta perspectiva do ensino coletivo de instrumentos de percussão.
Para ressaltar, por ser considerada a percussão uma prática abrangente que envolve uma multiplicidade de instrumentos, toques e ritmos há a necessidade de implementação da monitoria considerando a chegada dos instrumentos de percussão recentemente adquiridos pela Universidade no Pregão Eletrônico 56/2013. Com esta possibilidade pretende-se potencializar as ações de criação e composição coletiva, concepções e saberes de professores em música que lecionam coletivamente, repertórios para o ensino coletivo de instrumentos, levantamento e/ou uso de métodos ou metodologias para o ensino coletivo, benefícios didáticos, psicológicos e sociais das práticas de ensino coletivo.

ANO DE 2016


MONITORIA DE PERCEPÇÃO MUSICAL – 2016/2

Os componentes de Percepção Musical II e IV contam, a partir desse semestre, com um monitor trabalhando em conjunto com o professor Alexandre Takahama para os atendimentos aos discentes. O horário de atendimento é nas terças e quartas-feiras, das 14h às 16h, na sala 4303 do campus Bagé.

O atendimento será realizado pelo monitor Luis Filipe Barreto de Castro Gonçalves e supervisionado pelo professor Alexandre Takahama. Atendimentos extras podem ser agendados através do e-mail alexandre.takahama@unipampa.edu.br ou pelo e-mail do próprio monitor, divulgado aos alunos em aula.

ANO DE 2015


MONITORIA DE FLAUTA DOCE

Os componentes de flauta doce contam, a partir desse semestre, com uma monitora trabalhando em conjunto com a professora Elaine Martha Daenecke para os atendimentos aos discentes. O horário de atendimento é nas terças-feira, das 18h às 20h30min, na sala 4205 do campus Bagé.

O atendimento será realizado pela monitora Miriã Daneris e supervisionado pela professora Elaine. Atendimentos extras podem ser agendados através do e-mail flautadoce.unipampa@gmail.com ou pelo e-mail da própria monitora, divulgado aos alunos em aula.


MONITORIA DE PERCUSSÃO

Os componentes de Percussão contam, a partir desse semestre, com um monitor trabalhando em conjunto com o professor Matheus de Carvalho Leite para os atendimentos aos discentes. O horário de atendimento é nas quartas-feira, das 14h às 18h, na sala 4113 do campus Bagé.

O atendimento será realizado pelo monitor Rafael Gonçalves Oliveira e supervisionado pelo professor Matheus. Atendimentos extras podem ser agendados através do e-mail: monitoriapercussao@gmail.com


MONITORIA DE VIOLÃO

Para os discentes que desejam aprofundar seus estudos no instrumento violão ou tirarem dúvidas sobre os conteúdos vistos em aula, o professor José Daniel Telles dos Santos informa os horários de atendimento através da monitoria de violão: terça-feira das 16h às 18h e quarta-feira das 16h às 18h.

O atendimento será realizado pelo monitor Fabrício V. Souza e supervisionado pelo professor José Daniel, e poderá ser agendado (com antecedência) através do seguinte e-mail: monitoriaviolao.unipampa@gmail.com