História do Curso

É sabido que a presença de Instituições de Ensino Superior em qualquer região é elemento fundamental de desenvolvimento econômico e social, bem como de melhoria da qualidade de vida da população, uma vez que proporciona o aproveitamento das potencialidades locais. Os municípios que possuem campus de universidades estão permanentemente desfrutando de um acentuado processo de transformação econômica e cultural, mediante parcerias firmadas entre estas instituições e as comunidades em que estão inseridas.

A Universidade Federal do Pampa veio marcada pela responsabilidade de contribuir com a região em que se edifica – um extenso território, com críticos problemas de desenvolvimento socioeconômico, inclusive de acesso à Educação Básica e a Educação Superior. Neste cenário a UNIPAMPA se propõe a fomentar a troca de informações e a interação científica, tecnológica e cultural que permite a transferência de conhecimentos necessários ao estabelecimento do desenvolvimento sustentável, em estímulo e respeito aos sistemas produtivos locais.

Considerando que Dom Pedrito situa-se na região da Campanha Gaúcha, é o 4º município em extensão do Rio Grande do Sul, com 5250km² e mais de 1300 propriedades rurais. A riqueza do município concentra-se na agropecuária, principalmente na criação de bovinos e na cultura do arroz irrigado. Sentindo a necessidade da diversificação da matriz produtiva e apresentando as condições edafoclimáticas adequadas ao cultivo de uvas, vem gradativamente investindo e sendo reconhecida como uma área promissora por excelência na produção e qualidade de vinhos e seus derivados.

Este município concentra o maior número de produtores de vinho da região da Campanha, segundo a Associação de Produtores de Vinhos Finos da Campanha Gaúcha. Um produtor do município conquistou a Medalha de Prata, no V Concurso Internacional de Vinhos, ocorrido no ano de 2010, e no VI Concurso Internacional “Emozioni dal Mondo”, realizado em Bergamo, na Itália em 2010, a Medalha de Ouro nos vinhos Cabernet e Merlot, premiação inédita para um vinho brasileiro. Seus vinhos se encontram entre os 30% superiores de acordo com a 16º e a 17º edições da Avaliação Nacional de Vinhos. Destaca-se que é a segunda safra deste viticultor e que os produtores de Vinhos Finos instalados no município são todos empreendedores locais, diferente do que ocorre em outras regiões caracterizadas pela migração ou expansão de grandes vinícolas, principalmente da região da Serra Gaúcha.

 Em agosto de 2009, durante a realização da XIII Reunião Ordinária do Campus (ATA nº13/2009) o Professor Wilson Valente da Costa Neto, propôs a criação de um curso ligado ao setor Vitivinícola com característica inovadora que atendesse as demandas de mercado e compromissada com o desenvolvimento social, surgindo assim, o Bacharelado em Enologia. Para tanto, o início dos trabalhos para elaboração do curso, contou com o interesse e participação dos produtores Vitivinícolas da Campanha Gaúcha.

Baseado na política da UNIPAMPA consorciado com os anseios do setor verificou-se a necessidade da formação de um profissional articulado no setor da Viticultura, Vinicultura e Agronegócio. Neste contexto, o Campus Dom Pedrito, ciente das demandas sociais e de um mercado em expansão, traçou o perfil deste novo profissional, considerando a promissora vocação desta região. Os desafios da contemporaneidade exigem a formação de enólogos capazes de gerenciar a matriz produtiva de maneira econômica e ambientalmente sustentável. Sabe-se que a sustentabilidade não é mais responsabilidade de um elo isolado, mas de toda a cadeia produtiva do qual ele faz parte.

No cenário mundial percebe-se uma supervalorização, principalmente, dos fatores econômicos na cadeia produtiva em relação às questões ambientais e sociais. Desta forma, o modelo de produção e consumo atual não garante qualidade de vida para a geração presente nem assegura a continuidade das gerações futuras (Declaração do Rio – 1999).

Assim, o Curso de Bacharelado em Enologia da Universidade Federal do Pampa foi estruturado a partir de um eixo articulador, intitulado Sustentabilidade da Cadeia Produtiva. Este eixo, juntamente com o conjunto de núcleos integradores de formação permitiria a formação destacada deste profissional, procurando entender a enologia de forma ampla, podendo atuar desde a caracterização, produção, rastreabilidade, certificação de origem, empreendedorismo, marketing e comercialização dos produtos, sempre de forma autônoma e ambientalmente responsável. Portanto, todas as faces do conhecimento a ser adquirido neste curso estarão permeadas pelo viés da sustentabilidade da cadeia produtiva, por meio do tripé indissociável de pesquisa, ensino e extensão.

Além disso, e da exigência de profissionais generalistas, crítico-reflexivos e criativos, novos aspectos, como a criação de um curso alicerçado nos princípios de interdisciplinaridade, com a proposição de uma matriz curricular, que assegura movimento e dinamismo à vida curricular e educacional na sua multidimensionalidade (Parecer CNE/CEB 07/2010), possibilitaria a formação de profissionais diferenciados.