Projeto Pedagógico do Curso (PPC)

Versão 2017-2018 do Projeto Pedagógico do Curso

Histórico de elaboração dos PPC

O projeto que deu origem ao Curso de Ciências Exatas – Licenciatura foi elaborado e aprovado pelos dirigentes da Universidade no ano de 2008, quando o campus Caçapava do Sul desenvolvia suas atividades nas dependências de uma escola estadual do município (EEEF Eliana Bassi de Melo). O projeto previa um núcleo comum e no quarto ano do curso, o licenciando fazia a opção entre três habilitações: Física, Matemática e Química. Durante o quarto ano, o licenciando cursava apenas componentes curriculares da área de habilitação escolhida.  O primeiro PPC de Ciências Exatas – Licenciatura esteve em vigor até 2011.  (Versão até 2011).

No período de 2012 a 2014, esteve em vigor um novo PPC, com alteração nos nomes de alguns componentes curriculares, mas que manteve o mesmo formato de um curso com um núcleo comum e a escolha de uma de três habilitação (Física, Química ou Matemática) no último ano do curso. (Versão 2012-2014)

Em junho de 2013, o Curso de Ciências Exatas foi avaliado pelo Ministério de Educação, tendo recebido nota 4. O reconhecimento do Curso, pelo Ministério da Educação, foi efetivado pela Portaria 729, de 19 de dezembro de 2013. Durante o ano de 2013, os professores do Curso já vinham trabalhando numa nova proposta de PPC, que foi aprovada na 47a. Reunião Ordinária do Conselho Universitário (CONSUNI), da Unipampa, em 28 de novembro de 2013, mas que entrou em vigor somente em 2015.

A nova versão de PPC (Versão 2015-2016) trouxe uma mudança substancial na concepção da trajetória acadêmica dos licenciandos. Os ingressantes cursavam um primeiro semestre (comum a todos) e, a partir do segundo semestre, os licenciandos podiam escolher os componentes que desejavam cursar, de acordo com sua afinidade a determinada área de formação. Além das três possibilidade de formação já consagradas (Física, Matemática e Química) foi criado um quarto percurso formativo: Ciências Naturais. Também houve alterações na oferta das horas de estágio supervisionado curricular obrigatório, que passou a ser ofertado a partir do terceiro semestre e ao longo de seis semestres.