Acadêmicos/as

Segundo o Plano Político Pedagógico do curso (UNIPAMPA, 2014, p. 27 a 32),  o/a bacharel/a em Produção e Política Cultural poderá atuar junto a grupos de artistas, coletivos, comunidades e grupos da cultura popular, enquanto um/a agente organizador/a da atividade cultural.

Com forte perfil empreendedor, o/a produtor/a é capaz de auxiliar esses agentes criativos a se estruturarem administrativa, estética e financeiramente. Seja prestando um serviço pontual, como a concepção, elaboração e/ou execução de projetos culturais, ou como agenciador/a artístico/a e cultural, o/a produtor/a é o/a profissional que aumenta a efetividade da ação cultural, provendo a orientação necessária aos/às trabalhadores/as da arte e da cultura para se estruturarem.

A administração pública é outro campo de atuação do/a produtor/a cultural, inclusive em expansão se considerarmos o já mencionado processo de institucionalização da gestão da política cultural refletido principalmente no Plano e no Sistema Nacional de Cultura (PNC e SNC).

Esses marcos referenciais da política cultural no Brasil, além de reiterar a centralidade da cultura para o desenvolvimento sustentável, estabelecem uma nova lógica de construção da política de Estado para a cultura. Essa mudança aponta para a necessidade de qualificação da gestão pública na área e para tal, além do necessário incremento dos recursos disponibilizados.

Nesse sentido, é preciso realizar o levantamento e monitoramento das informações e indicadores culturais. Assim, o/a produtor/a-pesquisador/a terá muitas oportunidades de promover investigações que contribuam com o aumento do volume e da qualidade dessas informações essenciais para o planejamento e gestão.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA. Bacharelado em Produção e Política Cultural. Projeto Político Pedagógico. Jaguarão: UNIPAMPA, 2014.