1ª Mostra de Cinema da Fronteira Jaguarão (BR) – Río Branco (UY)

1ª Mostra de Cinema da Fronteira Jaguarão (BR) – Río Branco (UY) 

A 1ª Mostra de Cinema da Fronteira Jaguarão (BR) e Río Branco (UY) apresenta sua programação 2018 composta por 3 semanas de programações voltadas à interlocução cultural entre Brasil e Uruguai por meio da linguagem cinematográfica.

De 20 a 23 de novembro acontecerá a “Semana de Cinema Negro Preta Faustina” com o propósito de difundir filmes produzidos com temática afro-brasileira e afro-uruguaia, ou com direção de negros e negras. De 28 de novembro a 01 de dezembro ocorre a “Los Chicos Más Grandes – Semana de Curtas Independentes Uruguaios” com objetivo de promover e visibilizar o cinema independente uruguaio. E de 05 a 08 de dezembro será a vez da “Semana de Cine Premiado Uruguaio” que oportuniza contato com filmes destacados e celebrados com premiações em festivais de cinema pelo mundo.

Fruto do componente curricular Projeto Cultural 1 ministrado pela professora Carla Rabelo do bacharelado em Produção e Política Cultural da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), as três semanas que compõem a Mostra foram pensadas curatorialmente e planejadas por grupos de discentes que se organizaram em produtoras experimentais, a saber:

  • Faustinianas Produções (Francisco Trindade, Caroline Ferreira, Shirlei Pereira, Caroline Maria e Breno Brito): Semana de Cinema Negro Preta Faustina.
  • Lo Siento Produções (Luciano Marques, Beatriz Souza, Igor Polatschek, Roberto Silva e Alessandra Porciúncula): Los Chicos Más Grandes – Semana de Curtas Independentes Uruguaios.
  • Estrelar Co (Philipo Mandrani, Rafael Odara, Guilherme Andrade, Francieli Medeiros, Ritielem Chaves e Aldair Machado): Semana de Cine Premiado Uruguaio.

 

Facebook da Mostra:
https://www.facebook.com/mostracinemafronteira

DOCENTE DO CURSO DE PPC PARTICIPA DA FEIRA DO LIVRO DE PORTO ALEGRE – 2018

Docente pesquisadora do Curso de PPC, Profa. Dra. Hilda Jaqueline de Fraga integra a programação da semana de abertura da 64ª Feira do Livro de Porto Alegre. Em sua terceira  participação, a professora neste ano foi uma das palestrantes convidadas da mesa de debate ocorrida na Biblioteca do Clube do Comércio,no dia 04/11, organizada pelo GT História Cultural, da ANPUH, Sessão RS, intitulada:  Leituras de História Cultural: memória, patrimônio e políticas culturais”  na qual debateu sobre os temas de um dos seus livros lançados este ano “Experimentações, Políticas Culturais e Patrimônios” pela Editora EST, Porto Alegre. Na sequencia das atividades a professora juntamente com outros autores convidados autografou seus livros no Pavilhão da Sessão de Autógrafos da feira.

Exposição Flávio Xavier na Galeria Intercultural Magliani: “A arte Borderleine – Fronteira: um lugar perigoso”.

Abertura de exposição: Galeria Intercultural Magliani – 03/11/2018

Cada obra discute o limite e as inter-relações de um lado com o outro, de um dentro com um exterior. Falam do toque desses limites como uma tensão perigosa, instável, e por vezes próximas da contravenção buscando ilustrar o conceito de fronteira como um lugar perigoso.
(Flávio Xavier)

Mais informações: https://www.facebook.com/gimunipampa

1º Unipampa Puertas Abiertas

 

A comunidade acadêmica da Universidade Federal do Pampa – Campus Jaguarão convida a comunidade local jaguarense para participar do I UNIPAMPA – Puertas Abiertas, a realizar-se durante todo o dia 31 de outubro de 2018, quarta-feira, no hall de entrada do estacionamento, das 9h30 às 21h30.

O evento tem como objetivo dar visibilidade aos cursos de graduação do campus, auxiliando os alunos do Ensino Médio e demais interessados na escolha de um Curso através do conhecimento e das possibilidades de atuação que esses cursos proporcionam. Atualmente, a UNIPAMPA – Campus Jaguarão oferece os cursos de:  Pedagogia – Licenciatura, Letras –Português e Literaturas de Língua Portuguesa – Licenciatura, Letras-Espanhol e Literatura Hispânica – Licenciatura, História- Licenciatura, Letras-Português – Licenciatura a Distância, Tecnologia em Gestão de Turismo e Bacharelado em Produção e Política Cultural. Os alunos e professores desses cursos estarão expondo seus trabalhos e atividades para a comunidade.

O evento é aberto ao público.

Redator: Assessoria de Imprensa

Prof. Dr. Thomas Josué Silva publica livro Cultura e Identidade: subjetividades e minorias sociais

Da necessidade de pautar as lutas das minorias sociais,
debatendo suas agendas desenvolvemos uma parceria interinstitucional entre o Programa
de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Santa Maria
– UFSM e a Universidade Federal do Pampa, por meio do seu Curso de Produção Cultural,
que resultou nesta obra.
O livro “Cultura e identidade: subjetividades e minorias sociais” org. pelos professores Dr. Thomas Josué Silva e Dr. Flavi Ferreira Lisboa Filho permite aproximações,
deslocamentos e tensões no debate das representações das identidades dos
grupos sociais minoritários (gênero, étnico-racial, geracional, de classe, de orientação
sexual, entre outras) suas subjetividades, protagonismos e subjugações. Problematiza
também a economia dos afetos numa ordem presidida pelo capitalismo e uma política
neoliberal pautadas pelo efêmero e demandas de segmentos hegemônicos que excluem,
inferiorizam e estigmatizam.
A obra abarca discussões sobre políticas, produção, circulação e consumo cultural
e a sua relação com as minorias sociais. Inscrevem-se nela textos que cotejam e tensionam
as agendas das minorias sociais a partir das ciências sociais e humanas, em especial
da comunicação e dos estudos culturais, e das artes para dar conta de diferentes
subjetividades, sejam elas do teatro, da dança, da literatura, do design, das artes visuais e do cinema.

 

Publicação disponível: http://w3.ufsm.br/estudosculturais/arquivos/livros-completos/CULTURA%20E%20IDENTIDADE%202018.pdf

 

O Semblante da Metrópole – Exposição discente Luciano Marques – Galeria Intercultural Magliani

 

Por natureza julgamos aquilo que menos nos parece atraente e agradável, mas pela mesma natureza, implantada por questões socioculturais, somos beneficiados por leis que nos inserem na sociedade e nos “garante” leis básicas como saúde, educação e moradia, o que temos ciência de que não é apenas mais uma teoria engolida pelo nosso capitalismo globalizado e acirrado que excluem quem não consome dele, as fotografias que compõe este projeto de exposição, foram capturadas em duas grandes metrópoles brasileiras, o centro de São Paulo (Praça da Sé) e Porto Alegre (Praça da Alfandega e arredores) onde o nível de desigualdade e pobreza nas ruas são perceptíveis, essas pessoas compartilham conosco aqui suas falas que são silenciadas em meio a rotina suburbana, os seus medos e anseios, algumas histórias de vida que contam das perdas aos golpes de “trabalho”, e muitos outros motivos, são representadas nesta instalação junto ao tema, que tem como levantamento e objetivo a desconstrução da visão pejorativa de pessoas em situações de rua, destrinchar nossa visão sob esses corpos que habitam as ruas com casas feitas de madeira e papelão, na maioria das vezes sem nada, pelos espaços públicos, em um mundo moderno e digitalizado, “democrático”, onde os nossos próprios medos e questões sociais são administrados pela economia de estado, um assunto público com poucos estudos e divulgações, mas com diversas interpretações sociológicas e opiniões formadas sobre pessoas que por algum razão, acabaram nas as margens dos grandes centros das metrópoles brasileiras.

Sejam todos bem vindos,

Sejam todos seres humanos.

Essa exposição inicia dia 02/10/2018 às 19h30

Luciano Marques,
Discente de Produção e Política Cultural.

Fonte: https://www.facebook.com/gimunipampa/

Docente do curso de PPC participa de dois grandes eventos da área de Cinema e Audiovisual

A professora e pesquisadora do bacharelado em Produção e Política Cultural, Carla Daniela Rabelo Rodrigues, colaborou mais um ano com dois grandes eventos do campo do Cinema e do Audiovisual. A primeira participação se deu no VI Colóquio de Cinema e Arte da América Latina – COCAAL 2018 e no II Colóquio Brasileiro de Cinema de Autoria Feminina – COCAF, realizados entre os dias 03 e 06 de setembro na Universidade Federal Fluminense em Niterói (RJ) cujo objetivo foi partilhar as experiências e pesquisas do campo. Na ocasião, ela apresentou o artigo intitulado “Avanços e Retrocessos na Políticas para Cinema no Peru” no GT4 Indústria e Recepção Audiovisual, fruto de seu projeto de pesquisa homologado no SIPPEE/Unipampa. Além do trabalho apresentado, participou dos debates das demais apresentações do GT, das mesas temáticas e das mostras de filmes que integravam a programação. Na ocasião, a professora Carla Rabelo foi convidada pelas pesquisadoras Natalia Barrenha (UNICAMP) e Silvana Flores (UBA/CONICET) a integrar o corpo editorial da Revista Imagofagia, revista científica de cinema da Argentina. Paralelamente a este evento, a docente ministrou uma palestra sobre Cinema Peruano para os discentes do curso de Cinema e Audiovisual da ESPM-RJ à convite do professor Pedro Curi. Outra colaboração foi no 14º Congresso FORCINE – Forum Brasileiro de Ensino de Cinema e Audiovisual, que ocorreu entre os dias 11 e 15 de setembro na PUCRS, em Porto Alegre, com a temática “As Escolas de Cinema e Audiovisual e suas conexões”. Nos dias 11 e 12, dentro do pré-congresso FORCINE 2018, aconteceu o Seminário Brasileiro de Estudos em Animação – SEANIMA no qual houve a apresentação do trabalho “O Fomento à Animação no Peru”, integrante do GT Animação e Mercado. Na programação específica do FORCINE, a professora Carla foi propositora e coordenadora do GT3 sobre “Políticas Públicas para Cinema e Audiovisual: experiências das universidades” com participação dos professores convidados Marcelo Ikeda (UFC), Alfredo Manevy (UFSC), Flavia Seligman (UNISINOS), Roberto Cotta (UFPEL) e Thiago Mendes (FEEVALE).

 

Créditos das fotos anexas:
Foto COCAAL: UFF.
Foto FORCINE: TECNA /PUC-RS.

Projeto de Ensino – Roda de Conversa: Diálogos entre Pesquisa e Mediações Culturais

RODA DE CONVERSA: DIÁLOGOS ENTRE PESQUISA E MEDIAÇÕES CULTURAIS

RESUMO:

No dia 12/09 foi realizada a atividade inicial do Projeto de Ensino: Rodas de Conversa: Diálogos entre Pesquisa e Mediação Cultural, coordenado pela Profa. Dra. Hilda Jaqueline de Fraga. O projeto é voltado para os discentes do 2ºsemestre matriculados nos componentes curriculares de Metodologia da Pesquisa e TCC – Projeto e tem como objetivo promover o diálogo acerca de projetos de pesquisa e de aplicação no campo da cultura, desenvolvidos pelos egressos ao longo do curso e alunos bacharéis em Produção e Política Cultural inseridos em Programas de Pós-Graduação de IES. A primeira roda de conversa teve como convidada a ex-aluna de PPC Juliana Machado Porto, Mestre em Memória Social e Patrimônio Cultural pela UFPEL- Universidade Federal de Pelotas que apresentou sua pesquisa de mestrado intitulada: Nos tentos da Memória: Artesanato em couro cru Guasqueria. Também participaram como convidados os discentes Renato Vieira e Rodrigo Souza que apresentaram os projetos I Mostra Binacional de Teatro: território de fronteira e Oficina de Criação de Vídeo Documentário sobre Juventude Negra em Jaguarão elaborados nas disciplinas. Durante as exposições os alunos do 2º semestre tiveram a oportunidade de discutir e socializar com os convidados seus interesses de investigação, questões relacionadas às metodologias de pesquisa e propostas de mediações culturais em produção e política cultural.

Evento Jornada Binacional sobre Diversidade Sexual

CENTROS MEC DEL DEPARTAMENTO DE CERRO LARGO

RESUMO:

Docente do Curso de PPC, Profa. Hilda Jaqueline de Fraga participa da Jornada Binacional sobre Diversidad Sexual promovido pelo Centro Mec del Departamento de Cerro Largo. O evento aconteceu no dia 18/09, na Casa de Cultura de Rio Branco/URY e reuniu autoridades locais e do Ministério da Cultura do Uruguai. Na ocasião a professora integrante da mesa de abertura discorreu sobre seus estudos e pesquisas sobre políticas de memória e  patrimônio cultural desde o enfoque de gênero salientando  a relevância deste debate tendo em vista a expansão dos direitos culturais e humanos na contemporaneidade decorrentes da ampliação do conceito de cultura e das reivindicações de diferentes movimentos sociais pelo direito à memória e à cidadania cultural  entendidos como elementos importantes para o fortalecimento da luta contra as diferentes formas de discriminação.