Patripampa

(RE) CONSTRUINDO A IDENTIDADE CULTURAL, AMBIENTAL E PATRIMONIAL DE URUGUAIANA COM PROFESSORES E PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA”

Coordenadora: Profa. Diana Paula Salomão de Freitas.

Colaboradores: Prof. Edi Morales Pinheiro Júnior, Profa. Giselle Xavier Perazzo e Profa.Viviane Pouey Vidal.

Bolsista: Tiane Muller.

Acadêmicos Voluntários: Alvaro Vale, Carlos Riella de Melo, Cátia Lopes, Emerson Soares, Eraildes Viçosa, Filipe Poetini, Jean Thomaz, Mario Nunes, Marli Taha, Marluce Wagner, Nicolle de Jesus Lima, Ronan Moura Franco, Sivani Ribas, Valéria Gonçalves, Vera Lucia Silveira e Vilson Messa.

Apresentação

O projeto PATRIPAMPA surge a partir das discussões e reflexões da Componente Curricular Universo em Evolução e Evolução e Evolução da Vida da Terra, a qual está focada na abordagem sociocultural, em que se entende que a aprendizagem dos sujeitos (professores/as em formação inicial e continuada) se da no processo educativo mediado pelo grupo em que estão inseridos. Nesse sentido, o presente projeto considera a importância da UNIPAMPA, enquanto instituição formadora de docentes, estar em consonância com a Política Nacional de Educação, com as Diretrizes Curriculares Nacionais e com a valorização e formação continuada de docentes, em um contexto de interação universidade/escola com vistas à melhoria contínua da educação e demandas por ela atendidas.

Através de uma análise prévia o projeto evidenciou a demanda por melhorias na educação básica do município de Uruguaiana consultando o Sistema de Avaliação da Educação Básica – Saeb (2007), no qual o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica – IDEB, do município, apresenta valor numérico em torno de 3,5, expressando baixo desempenho dos estudantes na avaliação (MERITT, 2010). Diante desta realidade a relevância do Projeto PATRIPAMPA está embasada a contribuir com a minimização das atuais problemáticas da educação, como na emergente necessidade de formação continuada de professores.

Outra relevância que motivou a execução do presente projeto foi à necessidade da Universidade e a escola estarem em consonância com a lei nº 10.172/2001 e as metas previstas no Plano Nacional de Educação – 2011 a 2010.

As atividades realizadas a partir do projeto PATRIPAMPA possibilitaram a partilha de conhecimentos inicialmente entre docentes, colaboradores/as e licenciandos/as do curso Ciências da Natureza. Ao longo de três meses foram realizados encontros semanais com os/as acadêmicos/as em que foram apresentadas e discutidas temáticas transdisciplinares como: Universo e evolução da vida, Meio ambiente, Desenvolvimento sustentável, Arqueologia, Antropologia, Patrimônio histórico cultural, Preservação de bens culturais, História, Geologia, Paleontologia, Etnologia, Etnografia, Cultura Material, Identidade, Pertencimento, Memória. O conhecimento das referidas ciências foram indispensáveis para o processo de formação de professores/as que experienciarão esses temas em sua prática profissional, além de os conteúdos contribuírem para sua formação de agentes sociais críticos/as e comprometidos/as com a problemática ambiental atual.

As leituras e discussões realizadas durante o curso de capacitação com os/as licenciados/as proporcionaram a realização de diversas atividades culturais, tais como: atividades reflexivas que aconteceram após a cada encontro, nas quais os/as acadêmicos/as dedicaram-se a dissertar sobre as distintas temáticas abordadas; a oficina piloto de cerâmica Guarani, atividade em que foram confeccionadas réplicas cerâmicas, visando estabelecer uma aproximação entre a etnoarqueológica e o contexto pré-colonial. O grupo também visitou o Museu do Rio Uruguai para conhecer os artefatos arqueológicos coletados no município de Uruguaiana, onde evidenciaram, pela primeira vez, a história pré-colonial da cidade através da cultura material.

Na oficina de “Escavação Arqueológica Simulada”, realizada em um sítio Histórico do inicio do Séc. XX, representado por uma antiga moradia que expõem características e vestígios culturais típicos do referido período. Esta atividade possibilitou aos alunos além do contato com as metodologias utilizadas na ciência arqueológica uma experiência construtiva e interdisciplinar entre a história, o meio ambiente e a arqueologia.