12. Projetos de Extensão

1 – Cientistas do Pampa.

  • Modalidade: Extensão
  • Período: 10/02/2018 a 10/02/2020
  • Coordenação: Prof.ª Drª  Eliade Ferreira Lima
  • Descrição do projeto: Segundo dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), as mulheres representam 55% dos estudantes que ingressaram em uma graduação presencial até 2013 e 60% dos que se formaram. Contudo, conforme o grau de instrução aumenta percebe-se uma diminuição da participação feminina nas universidades. Um estudo do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) mostra como as bolsas de estudo se tornam mais escassas para as mulheres à medida que o nível de pesquisa avança. Entre as bolsas de iniciação científica, 59% está em poder das alunas, enquanto apenas 36% das bolsas de pesquisa de excelência são delas. A explicação para esse resultado se encontra em diversos obstáculos que acompanham as mulheres desde a escolha de suas carreiras e seguem prejudicando sua permanência. Antes mesmo de entrarem na graduação, a maioria das garotas são desencorajadas a seguir carreiras na área de exatas. Dessa forma, este programa propõe a atuação de cientistas da UNIPAMPA atuando diretamente com o público feminino nas escolas visando o incentivo à participação destas meninas nas ciências exatas.

2 –  O Cerro do Jarau: Um laboratório cultural e astronômico .

  • Modalidade: Extensão
  • Período: 01/03/2017 a 01/03/2020
  • Coordenação: Prof.ª Drª  Eliade Ferreira Lima
  • Descrição do projeto:  A estrutura do Cerro do Jarau está localizada no Estado do Rio Grande do Sul, próximo à fronteira com o Uruguai, a cerca de 105 Km da cidade de Uruguaiana. Possui forma circular que se destaca na topografia contrastando com a região plana dos Pampas Gaúchos. Esta região é já é bem conhecida em termos culturais, pois envolve a lenda da Salamanca, que é ensinada às crianças Ururuguaianenses desde seus primeiros anos escolares. Alguns autores confirmaram que o padrão circular observado na região resulta do impacto de um meteorito. Crateras de impacto são estruturas formadas quando um planeta ou satélite é atingido por meteoritos, asteroides ou cometas. Estudos planetários mostraram que não só a Lua como também todos os corpos sólidos do nosso Sistema Solar sofreram intenso bombardeio por corpos desses tipos durante sua história. Embora a Terra tenha sido consideravelmente bombardeada, principalmente nas fases iniciais de sua história, todo esse registro não se encontra preservado devido à dinâmica intensa da superfície de nosso planeta. Atualmente são reconhecidas cerca de 181 crateras em todo planeta. No Brasil são conhecidas 7 crateras de impacto e várias outras que possivelmente foram formadas pela colisão meteorítica, mas que ainda necessitam de estudos conclusivos. Em função da importância dessa região, este trabalho, a ser desenvolvido pela UNIPAMPA junto ao curso de Licenciatura em Ciências da Natureza, propõe a partir da atuação nas escolas, feiras e eventos públicos, conscientizar a população local sobre a preservação de tal formação não só no âmbito histórico-cultural, mas também em função da questão astronômica e geológica. A população de Uruguaiana desconhece a origem do Cerro e por isso faz-se necessária a atuação da Universidade como mediadora do conhecimento. Logo, também é necessária a conscientização da população em torno do Cerro. Este trabalho tem por objetivo divulgar a importância científica do Cerro do Jarau para a população das cidades de Uruguaiana e Quaraí através da divulgação nas escolas, em eventos públicos e em meios de comunicação em massa, bem como por meio a elaboração de exposições com fotografias produzidas por escolares. Pretende-se aproximar a cultura e a Ciência por meio da ligação entre a lenda da Salamanca e a existência da cratera do Cerro do Jarau, a fim de conscientizar tais população sobre a conservação de áreas que nos servem como laboratórios de pesquisa para a compreensão da formação do nosso planeta e da continuação das espécies terrestres. Nesta proposta a Universidade desempenha o seu papel de extensionista mostrando-se preocupada em desempenhar seu papel social atingindo grupos sociais específicos como populações rurais do entorno do Cerro e também aproxima-se da sociedade geral, compreendendo a cultura local e regional, numa perspectiva interdisciplinar apoiada no diálogo com os sabres científicos e popular.