O Curso

Histórico

A Universidade Federal do Pampa (Unipampa), criada em 2006 com estrutura multicampi e inserida no programa de expansão das universidades federais no Brasil, vem procurar minimizar o processo de estagnação econômica onde está inserida e, por meio da educação, ser um agente da definitiva incorporação da região ao mapa do desenvolvimento do Rio Grande do Sul.

Neste sentido, em 2008, projetou-se um curso que fosse relacionado diretamente com a principal economia do município: a mineração. Em 2009, ingressaram no Campus Caçapava do Sul, os 30 alunos que constituíram a primeira turma do CST em Mineração e, devido à demanda registrada nos anos anteriores, em 2011 o número de vagas para ingresso passou a ser de 40 .

A proposta de criação do CST em Mineração  foi principalmente motivada (i) pelo forte e acelerado aquecimento do setor mineral do País e (ii) pela carência de mão-de-obra qualificada capaz de atender à estas demandas.

Objetivos

O CST em Mineração da Unipampa objetiva formar profissionais, em nível de graduação, habilitados para o planejamento, gerenciamento e implementação de atividades ligadas aos processos de lavra e tratamento de minérios. As atividades deste profissional envolvem a avaliação técnica e econômica de depósitos minerais e empreendimentos mineiros, a partir de dados geológicos, bem como a definição da rota adequada de processo, visando a sustentabilidade econômica, ambiental e social.

Perfil do egresso

A organização curricular do CST em Mineração da Unipampa tem como princípio orientador a formação baseada em competência, ou seja, uma educação profissional que capacite o egresso a mobilizar, articular e colocar em ação conhecimentos, habilidades, atitudes e valores necessários para o desempenho eficiente e eficaz de atividades requeridas pela natureza do trabalho e pelo desenvolvimento tecnológico.

O egresso do Curso deverá ter uma sólida formação acadêmica e humanística, ser consciente das exigências éticas e da relevância pública e social dos conhecimentos, habilidades e valores adquiridos na vida universitária. Deverá estar inserido no seu contexto profissional de forma autônoma, solidária, crítica, reflexiva e comprometida com o desenvolvimento e a sustentabilidade econômica e ambiental. Deverá igualmente possuir uma capacidade empreendedora, em sintonia com o mundo do trabalho, objetivando a construção de uma sociedade justa e democrática. Desta forma, acredita-se estar expressando os compromissos institucionais de formação integral, tecnológica, humana e científica, bem como as demandas do setor produtivo da região e do país.

A formação profissional é direcionada para aplicação, desenvolvimento e difusão de tecnologias, abrangendo ações de avaliação dos recursos minerais, planejamento dos métodos de lavra e beneficiamento destes recursos, atendendo assim às necessidades de produção dos diversos segmentos envolvidos na indústria de mineração.

O currículo do Curso permitirá ao aluno adquirir as competências necessárias para:

            (i) compreender a natureza multidisciplinar de um projeto de mineração, que envolve desde as etapas de pesquisa e levantamento de dados, a avaliação e dimensionamento de jazidas e corpos de minério, a definição dos métodos de lavra de acordo com a economicidade e parâmetros técnicos, a definição das rotas de processo e/ou beneficiamento mais adequados e de acordo com as características intrínsecas do tipo de depósito e da especificidade da mineralização, além da definição de um projeto de fechamento de mina que leve em conta a recuperação ambiental e os impactos sociais e econômicos;

            (ii) compreender que todas as fases envolvidas em projetos de mineração devem estar em consonância com os métodos corretos de gestão e conservação ambiental. Neste sentido, os egressos devem ser capazes de utilizar as melhores práticas técnicas para buscar e desenvolver projetos sustentáveis ambientalmente;

            (iii) entender a natureza dos bancos de dados geológico-mineiros (sondagens, trincheiras, poços, canaletas, etc) e habilitá-lo a aplicá-los na realização de cubagem dos recursos minerais de um dado depósito ou corpo de minério;

            (iv) compreender os princípios que permitem o desenvolvimento de técnicas e planos de amostragem visando definição das rotas de processo;

            (v) entender todos as operações unitárias (desmonte, carregamento, transporte, disposição) envolvidas com a lavra (em minas subterrâneas e a céu aberto);

            (vi) aplicar os conhecimentos e conceitos para elaboração de projetos de desmonte de rochas, seleção e dimensionamento de equipamentos de lavra e de transporte de minério desmontado até a usina de beneficiamento ou pilhas de estéril;

            (vii) entender e aplicar as propriedades específicas para a caracterização tecnológica de minérios;

           (viii) dimensionar equipamentos de classificação e cominuição, separação e concentração de minérios economicamente aproveitáveis;

            (ix) planejar a disposição e tratamento dos estéreis ou rejeitos;

            (x) compreender a importância dos critérios econômicos desde a seleção de um dado equipamento ou de um método de lavra em detrimento de outro, bem como na decisão de qual projeto ou jazida será mais lucrativa ou vantajosa, quando de sua explotação, apoiando assim a tomada de decisão.