Projetos de Pesquisa

Mapeamento digital de atributos do solo no bioma pampa
Coordenador: Adriano Luís Schünemann

O conhecimento de valores de variáveis ambientais, em locais não amostrados a partir de um conjunto mínimo de amostras da mesma, pode ser realizado através de uma série de interpoladores. A krigagem e o Random Forest são alguns exemplos de preditores com esta capacidade. Este trabalho tem o objetivo de verificar a melhora na predição de atributos do solo, com o uso de variáveis e covariáveis, na área do bioma pampa. Para tanto serão coletadas amostras de solo em formato de grades regulares e irregulares, na camada de 0 a 20 cm de profundidade. Serão realizadas análises químicas e físicas dos solos desta região e selecionados atributos a serem mapeados pelos diferentes métodos propostos. Como covariáveis serão utilizadas as variáveis morfométricas oriundas de levantamentos laser aerotransportados (Light Detection And Ranging e Shuttle Radar Topography Mission). Serão produzidos mapas dos atributos selecionados utilizando modelos geoestatísticos (krigagem e cokrigagem) e modelos que utilizam árvores de decisão (Random Forest). O mapeamento será realizado de forma temporal para verificar o incremento de fertilidade naqueles solos com manejo agrícola/florestal em função do manejo existente. O objetivo principal deste projeto é identificar as melhores formas de amostragem, para mapeamento dos atributos do solo da região e determinar a forma de predição que mais se aproxime a realidade, auxiliando no mapeamento temporal digital de tais atributos.

QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE ACÁCIA-NEGRA (Acacia mearnsii De Wild) E SUA RELAÇÃO COM A EMERGÊNCIA DE PLÂNTULAS NO CAMPO E COM A QUALIDADE DE MUDAS
Coordenadora: ALEXANDRA AUGUSTI BOLIGON


A acácia-negra (Acacia mearnsii De Wild.) é uma das três essências florestais exóticas mais exploradas economicamente no Brasil, sendo o Rio Grande do Sul o estado brasileiro com a maior área plantada. Trabalhos que avaliem a relação entre os resultados de testes de vigor de sementes realizados no laboratório e variáveis de plântulas e de mudas para a espécie são inexistentes na literatura. Assim, o objetivo do trabalho é identificar os testes de análise de sementes aplicados em sementes de acácia-negra, teste padrão de germinação e testes de vigor, mais relacionados com a emergência de plântulas no campo e com variáveis indicadoras da qualidade de mudas desta espécie. Para tal, será realizada a padronização do teste de envelhecimento acelerado para sementes de acácia-negra e a estimativa da emergência de plântulas no campo e da qualidade de mudas de acácia-negra a partir da avaliação da qualidade fisiológica das sementes em laboratório. Procura-se determinar um ou poucos testes desenvolvidos no laboratório que possam ser utilizados como estimador da emergência de plântulas e da qualidade de mudas, reduzindo o tempo e o custo na determinação da qualidade fisiológica de lotes de sementes desta espécie.

PARÂMETROS EXPERIMENTAIS PARA VARIÁVEIS DE SEMENTES E PLÂNTULAS DE TRÊS ESPÉCIES DA FAMÍLIA MYRTACEAE
Coordenadora: ALEXANDRA AUGUSTI BOLIGON

Informações a respeito da tecnologia de sementes de espécies florestais nativas e exóticas são raras no meio científico. O tamanho e a forma de parcela, além do tamanho de amostra variáveis morfológicas de sementes e plântulas, além da emergência de plântulas, são inexistentes na literatura. Assim, o objetivo do presente estudo é a determinação de parâmetros experimentais como a forma e o tamanho ótimo de parcela e tamanho de amostra, para variáveis morfológicas de sementes e plântulas, e para a emergência de plântulas de espécies florestais nativas da família Myrtaceae. Serão utilizadas sementes das espécies nativas Eugenia uniflora (pitangueira), E. involucrata (Cerejeira-do-mato) e Myrcianthes punjens (Guabiju). Os frutos serão coletados de plantas encontradas em fragmentos florestais localizados nos municípios de Bossoroca, noroeste do estado do Rio Grande do Sul, e de São Sepé, região central do mesmo estado. As recomendações da forma de coleta e de extração de sementes seguirão as recomendações encontradas na literatura especializada para cada espécie. Serão determinados os parâmetros experimentais para as variáveis das sementes: massa fresca, largura, comprimento e espessura de sementes, além das variáveis de plântulas: massa fresca e massa seca de plântulas, comprimento total de plântula e de raiz, diâmetro do colo, além da percentagem de emergência de plântulas e índice de velocidade de emergência. As variáveis das sementes serão mensuradas em 750 sementes para cada espécie, com auxílio de paquímetro digital e balança analítica de precisão (0,001 gramas). Para as variáveis das plântulas, para cada espécie, serão utilizadas dez bandejas de plástico de 50 células, preenchidas com 50cm³ de substrato comercial Plantimax® em cada célula. As determinações serão realizadas ao final de 120 dias a partir da emergência das plântulas. Para a determinação do período para emergência de plântulas, será registrado o número de dias até a emergência para cada semente partir de avaliação a cada três dias. A partir dos resultados observados em todas variáveis analisadas, será estimado o tamanho ótimo e a forma de parcela pelos métodos de Méier & Lessman e do modelo linear de resposta com platô, além da forma de parcela, para cada variável individualmente.

Cosméticos verdes: avaliação de atributos ambientais a partir das estratégias de ecodesign e rotulagem ambiental
Coordenadora: Ana Júlia Teixeira Senna Sarmento Barata

Um dos maiores problemas ambientais atuais no Brasil é o alto índice de resíduos sólidos gerados no descarte de produtos e embalagens. Além do impacto causado no descarte, a produção de embalagens consome uma grande parte de recursos naturais. As embalagens possuem funções principais como embalar e proteger o produto e é um dos instrumentos de estratégias de marketing das empresas. Diante dessas problemáticas, o setor de produção busca desenvolver embalagens utilizando recursos de forma responsável, tecnologia limpa, que possam ser recicladas e/ou reutilizadas, com ciclo de vida fechado e que atendam as funções primárias. No setor de cosméticos, muitas empresas investem na pesquisa e desenvolvimento de embalagens sustentáveis que transmitam ao consumidor e aos stakeholders seus valores e inovações. O objetivo desse projeto é caracterizar as embalagens sustentáveis de produtos comercializados por empresas do setor de cosméticos brasileiras. A metodologia consiste na elaboração de um referencial teórico sobre os produtos verdes, ecodesign e rotulagem ambiental. Após serão selecionados cosméticos de três empresas. Serão analisadas as informações contidas nos rótulos dos produtos; nos relatórios de sustentabilidades e sites das empresas. Na sequência, serão entrevistadas as empresas selecionadas. Por fim, pretende-se descrever as características das embalagens sustentáveis de cosméticos brasileiros.

Influência da competição no crescimento de espécies florestais em um fragmento de Floresta Estacional na Região Central do Rio Grande do Sul
Coordenadora: Bruna Denardin da Silveira

A Floresta Estacional Semidecidual, pertencente ao Rio Grande do Sul, foi uma das formações florestais que sofreu grandes modificações em sua estrutura, principalmente por conta do avanço agrícola e pecuário ocorrido no Estado em tempos passados. Por isso, é notória a relativa escassez, ou até mesmo a ausência, de espécies nativas dessa formação na atualidade, mesmo em áreas isoladas e que não sofrem intervenção humana há décadas. Assim, pesquisas sobre competição e crescimento de espécies arbóreas nativas, que podem ser realizadas através da análise de seus anéis de crescimento, são de inestimável valia e complementam os estudos na compreensão da complexa dinâmica do crescimento das florestas. Desta forma, o presente projeto tem como objetivo geral avaliar o crescimento em diâmetro e a competição de espécies arbóreas encontradas em um fragmento da Floresta Estacional, em São Sepé, Rio Grande do Sul. Logo que os dados sejam coletados, serão processados e analisados com auxílio de programas computacionais. Após a realização desse trabalho, espera-se determinar as condições de desenvolvimento das espécies florestais nativas da região, através do seu crescimento e competição. Além disso, os dados da pesquisa poderão ser utilizados em trabalhos de conclusão de cursos de graduação, resumos e trabalhos completos para eventos, assim como em artigos científicos sobre o manejo de espécies florestais nativas do Rio Grande do Sul.

Resposta de Eucalyptus urograndis à fertilização com Boro em solo arenoso

Coordenador: Frederico Costa Beber Vieira

A expansão da silvicultura no estado do RS com plantios de eucalipto é relativamente recente e carece de pesquisas na área de fertilidade do solo, especialmente em relação à fertilização com Boro. Por isto, este trabalho objetiva, principalmente, avaliar o potencial de resposta de clones de Eucalyptus urograndis cultivados em vasos a doses de boro em um solo arenoso com e sem correção da acidez, além de compreender a interação da calagem com o aproveitamento do B pelas plantas e com o potencial de perdas do nutriente através da lixiviação. Será conduzido por cinco meses um experimento em vasos com E. urograndis cultivados sob um Neossolo quartzarênico, adubado com NPK e com diferentes doses de Boro, além da a presença ou ausência de calagem. A solução lixiviada durante a condução do estudo será quantificada quanto ao volume e teor de boro. Após a colheita, as plantas serão avaliadas quanto a diversos parâmetros de crescimento de parte aérea e de raízes, além dos teores de nutrientes nos tecidos. A capacidade máxima de absorção de boro (CMAB) do solo utilizado será determinada. A qualificação da formação de recursos humanos em iniciação científica é o principal resultado esperado da realização do projeto. Em adição, espera-se contribuir com o atual estado de conhecimento sobre o potencial de resposta de eucalipto a adubações com boro em solo arenoso do Pampa gaúcho, bem como sobre o potencial de perdas deste nutriente por lixiviação. Os resultados do projeto serão divulgados através de artigo científico em periódico nacional indexado (Revista Brasileira de Ciência do Solo) e apresentados em eventos científicos através de pôster e apresentação oral.

Emprego de veículo aéreo não tripulado como ferramenta para análise da cobertura florestal do estado do Rio Grande do Sul
Gabriel: Gabriel Paes Marangon

Diante do crescente interesse dos setores relacionados ao manejo florestal de precisão, existe a necessidade da diminuição dos recursos dispendidos na obtenção de variáveis florestais. Dentro deste contexto, se torna necessária à implementação e difusão do conhecimento técnico e científico do uso de novas tecnologias, viabilizada pelo emprego de recursos tecnológicos modernos, tais como o veículo aéreo não tripulado (VANT), conhecido popularmente como drone, bem como ferramentas computacionais robustas (hardware e software) para o processamento dos dados obtidos em áreas florestais do estado do Rio Grande do Sul. Portanto, o presente projeto visa à realização de um estudo sobre a viabilidade da utilização do VANT como ferramenta para diagnóstico das áreas de interesse florestal do estado do Rio Grande do Sul, contando com o auxílio de geotecnologias, como posicionamento por satélites e processamento de imagens de sensoriamento remoto para geração de modelos digitais de elevação destinados à análise e monitoramento de áreas experimentais da Universidade Federal do Pampa, áreas de plantios comerciais pertencentes a empresas do ramo florestal, bem como de áreas de florestas naturais do estado. As imagens serão obtidas por meio de um veículo aéreo não tripulado (drone) que através de voos previamente planejados e previstos na legislação vigente para tal instrumento, farão o mapeamento previsto para as áreas de estudo. O processamento das imagens será efetivado através do software Agisoft PhotoScan Professional Edition®. Posteriormente o pós-processamento dos modelos digitais será realizado pelo software QGIS. No contexto florestal homogêneo, buscar-se-á avaliar a aplicabilidade da tecnologia VANT na aquisição de dados dendrométricos, produzindo assim subsídios para o desenvolvimento técnico-científico aplicado aos cultivos florestais, por meio de avaliações de alinhamento e levantamento de falhas do plantio, controle e ataque biológico de pragas e estimativas volumétricas. Nas florestas naturais almeja-se realizar o monitoramento para o controle de desmatamento, ocupação do solo e áreas potenciais para preservação. Os resultados propostos nesse projeto aportarão pesquisas inovadoras e produção científica sobre questões relacionadas, ao manejo florestal inequiâneo e equiâneo de precisão que ainda se apresentam de forma incipiente no estado do Rio Grande do Sul, buscando com a aplicação e monitoramento via tecnologia VANT, alternativas na obtenção de dados que tragam inovações tecnológicas aliadas à rapidez na obtenção de resultados consistentes

ASPECTOS SILVICULTURAIS E ECOLÓGICOS DE UM SISTEMA SILVIPASTORIL NA REGIÃO DO BIOMA PAMPA
Coordenador: HamiltonLuiz Munari Vogel

A degradação de pastagens causa grandes prejuízos ambientais e econômicos no Brasil. Como a maior parte do Bioma Pampa no Rio Grande do Sul, encontram-se inseridas inúmeras propriedades rurais com diferentes atividades agropecuárias, a implantação de sistemas silvipastoris tem sido apontado para aumentar a produção de pastagens degradadas e proporcionar a recuperação destes ecossistemas. O RS apresenta excelentes condições edafoclimáticas para a atividade silvipastoril. No estado atualmente os sistemas silvipastoris são formados principalmente por espécies exóticas de rápido crescimento, como o Eucalyptus e a Acácia-negra; já sistemas com espécies arbóreas nativas não são usados nas propriedades rurais da região, o que demonstra uma lacuna nos aspectos silviculturais e ecológicos ainda a ser estudados nestes sistemas. Verifica-se portanto, que existe a necessidade de adequar os sistemas de produção agropecuários da região às condições ecológicas locais. Dessa maneira, para identificar adequadas estratégias de manejo de sistemas silvipastoris é necessário enfrentar o desafio de elucidar as interações entre os componentes arbóreo e forrageiro. O presente projeto de pesquisa, tem como principal objetivo avaliar os aspectos silviculturais e ecológicos de sistemas silvipastoris de Cordia trichotoma e Eucalyptus saligna com espécie forrageira, visando à adequação do sistema para as condições edafoclimáticas locais a fim de que haja uma melhor produtividade e sustentabilidade do sistema. Pretende-se com esta pesquisa, estudar a produtividade de dois sistemas silvipastoris: um com espécie florestal nativa e pastagem e outro com Eucalyptus e pastagem, ambos com diferentes espaçamentos. Nestes sistemas serão avaliados os impactos ambientais positivos e negativos, através da análise de atributos físicos e químicos do solo, fauna do solo, biomassa aérea e radicular das árvores, produção de serapilheira, avaliação da produtividade do pasto, e potencial de crescimentos e uso das espécies utilizadas. Com estes resultados, pretende-se gerar subsídios para o manejo integrado da pastagem e a produção de florestas, que possam beneficiar os produtores rurais da região de São Gabriel-RS, com sustentabilidade social, econômica e ambiental.

ESTOQUE DE SERAPILHEIRA E NUTRIENTES NA BORDA E NO INTERIOR DE UM FRAGMENTO DE FLORESTA ESTACIONAL DECIDUAL NA REGIÃO DO BIOMA PAMPA-RG
Coordenador: HamiltonLuiz Munari Vogel

A área rural do município de São Gabriel esta inserido em uma região do estado com forte tradição agropecuária, com poucos estudos realizados em seus ecossistemas nativos. O presente estudo tem como objetivo principal avaliar os efeitos da borda na produção de serapilheira e material reprodutivo, em um fragmento de floresta nativa na região do Bioma Pampa. O trabalho será realizado em um fragmento de Floresta Estacional Decidual, localizados no município de Vila Nova do Sul. Para o estudo do efeito de borda, serão demarcados 4 locais no fragmento, no sentido borda (0-10m), zona de transição (10-20m), e interior do fragmento (20-50m e 50-100m). No total serão coletadas 60 amostras, com uma moldura de madeira de 25 cm x 25 cm de tamanho. As amostras serão coletadas nas quatro estações do ano, conforme o cronograma de atividades. No laboratório, as amostras serão separadas em serapilheira (folhas, galhos finos < 1 cm e resíduos não identificáveis) e material reprodutivo composto por sementes. Nas amostras de serapilheira serão realizados os teores totais de N, P, K, Ca, Mg, S, B, Cu, Fe, Mn e Zn. O estoque de nutrientes na serapilheira será obtido com base na biomassa seca, multiplicada pelo teor de nutrientes do respectivo componente.

Caracterização de variedades de nogueira-pecã no sul do Brasil
Coordenador: Igor Poletto

A nogueira-pecã (Carya illinoinensis) é uma espécie nativa dos Estads Unidos e do México e foi introduzida no Brasil por volta de 1970. Atualmente, se tornou uma das culturas mais rentáveis da região sul do Brasil, sendo que em 2015, colheu-se aproximadamente 2.500 toneladas. Embora há uma intensificação da implantação dos pomaes e melhoria de algumas técnicas de produção, os métodos seguem os mesmos de décadas atráz. Não se tem conhecimento de quantas variedades de nogueira-pecã existam no Brasil, nem das características do fruto, como tamanho, forma, sabor e valor nutricional, nem da planta, em termos de produção, resistência/suscetibilidade à doenças, época de amadurecimento de frutos, etc. Em vista disso, o objetivo deste projeto será caracterizar padrões genéticos, morfológicos e sanitários, bem como, estudar a composição nutricional de diferentes variedades de nogueira-pecã no Rio Grande do Sul. Para isso, será realizado um levantamento das possíveis variedades e coleta de material para estudo em todo o estado. A pesquisa será executada em parceria UNIPAMPA e UFSM com apoio dos laboratórios de Controle Biológico e Proteção de Plantas, Viveiro Florestal, Núcleo de Genômica e Ecologia Molecular, Laboratório de Fitopatologia, Laboratório de Biotecnologia Aplicada à Produção Vegetal e Laboratório de Análises Físico Químicas de Alimentos.

Qualidade morfofisiológica e sanitária de sementes de aroeira-vermelha (Schinus terebinthifolius) em fragmentos de floresta no Bioma Pampa – RS
Coordenador: Igor Poletto

A fragmentação de florestas ocasionada pelas atividades agropecuárias pode influenciar no padrão de comportamento de algumas espécies florestais, interferindo, sobretudo, na manutenção e regeneração destas espécies. A aroeira-vermelha (Schinus terebinthifolius) é uma espécie arbórea pioneira, encontrada em em praticamente toda a região do pampa gaúcho, tem sofrido constante diminuição de sua população em função da exploração madeireira e abertura de novas áreas agrícolas. Assim, a hipótese trabalhada é que a fragmentação de florestas interfere na qualidade das sementes de aroeira-vermelha, podendo, posteriormente, interferir na produção de mudas e na qualidade dos novos povoamentos. O objetivo deste projeto é avaliar a qualidade morfofisiológica e sanitária de sementes de aroeira-vermelha provenientes de povoamentos fragmentados, localizados no Bioma Pampa – RS. Para a efetivação do estudo, foram demarcados sete fragmentos de floresta na fronteira oeste do Rio Grande do Sul onde serão coletados dados e material vegetal. O material será analisado no Laboratório de Controle Biológico e Proteção Florestal da Unipampa. Ao final deste projeto espera-se obter resultados que indiquem se a fragmentação dessas florestas interfere na qualidade das sementes.

Qualidade morfofisiológica e sanitária de sementes de açoita-cavalo (Luehea divaricata) em fragmentos de floresta no Bioma Pampa – RS
Coordenador: Igor Poletto

A fragmentação de florestas em função das atividades agropecuárias pode influenciar no padrão de comportamento de algumas espécies florestais, interferindo, sobretudo, na manutenção e regeneração destas espécies. O açoita-cavalo (Luehea divaricata) é uma importante espécie nativa do Brasil e tem sofrido constante diminuição de sua população em função da exploração madeireira e abertura de novas áreas agrícolas. Assim, a hipótese deste projeto é que a fragmentação de florestas interfere na qualidade das sementes de açoita-cavalo, podendo, posteriormente, interferir na produção de mudas e na qualidade dos novos povoamentos. O objetivo deste projeto é avaliar a qualidade morfofisiológica e sanitária de sementes de açoita-cavalo provenientes de povoamentos fragmentados, localizados no Bioma Pampa. Para a efetivação do estudo, foram demarcados sete fragmentos de floresta na fronteira oeste do RS onde serão coletados dados e material vegetal. O material será analisado no Laboratório de Proteção Florestal e no viveiro florestal, ambos da Unipampa. Ao final deste projeto espera-se obter resultados que indiquem a possibilidade de utilização desses fragmentos florestais para coleta de sementes de açoita-cavalo e determinar se existe variação na qualidade morfofisiológica e sanitária das sementes nos diferentes fragmentos de floresta.

Uso de Nauphoeta cinerea para seleção de fungos entomopatogênicos
Coordenador: Igor Poletto

A maioria dos insetos-praga tem sido controlados através de inseticidas químicos, o que seleciona indivíduos resistentes e pode causar intoxicações e contaminações às pessoas e ao meio ambiente. Uma alternativa ao controle químico é a utilização de fungos entomopatogênicos como controle biológico. No entanto, não existe protocolos de criação definidos para a maioria dos insetos-praga, dificultando a execução de bioensaios com fungos entomopatogênicos. Assim, este projeto tem como objetivo estudar baratas da espécie Nauphoeta cinerea como modelo experimental para a seleção de isolados de fungos entomopatogênicos, além de avaliar alterações no comportamento de grooming destes insetos quando em contato com os fungos. Indivíduos criados em condições de laboratório serão submetidos à diferentes tratamentos contendo suspensões de conídios de diferentes espécies e isolados de fungos potencialmente entomopatogênicos. A atividade de grooming dos insetos será avaliada em um círculo de campo aberto, contabilizando, com o auxílio de um cronômetro digital, o tempo total de grooming de pernas e de antenas em 30 minutos, além da mortalidade de indivíduos quando submetidos aos tratamentos.

Controle biológico de Pestalotia sp., patógeno da nogueira-pecâ (Carya illinoinensis)
Coordenador: Igor Poletto

O estado do Rio Grande do Sul a mais de meio século é produtor de nogueira-pecã (Carya illinoinensis), no entanto, existem poucas pesquisas voltadas ao desenvolvimento de melhorias para a cultura, principalmente, no que se refere ao tratamento de doenças. Dentre as doenças que atacam a espécie, destaca-se a mancha-foliar causada por Pestalotia sp., que causa manchas nas folhas e frutos proporcionando sua queda e, também, diminuição da área fotossinteticamente ativa da planta. A doença também se manifesta em mudas no viveiro, causando queda de folhas, prejudicando seu desenvolvimento. Em função disso, o objetivo deste trabalho é testar a eficiência de isolados de Trichoderma spp. e produtos comerciais a base de Trichoderma spp. no controle de Pestalotia sp. e selecionar fungos presentes na filosfera de nogueira-pecã, com potencial para controle biológico. Para isso, serão confrontados in vitro, utilizando BDA como meio de cultura, isolados de Trichoderma spp. com isolados de Pestalotia sp. comprovadamente patogênicos. Os isolados de Trichoderma spp. e Pestalotia sp. serão obtidos na micoteca do Laboratório de Fitopatologia do DFS – UFSM e, também, de produtos comerciais (Trichodel® e Agrotrich®) a base deste antagonista. Além disso, serão isolados fungos presentes na filosfera de folhas de nogueira-pecã, coletadas em diversos municípios produtores do RS, e confrontados com Pestalotia sp. Nesse caso, entre os fungos isolados, será dada prioridade para Trichoderma spp., em seguida, aos demais fungos citados na literatura com potencial antagoista.

Controle biológico de formigas do gênero Atta e Acromyrmex através de fungos entomopatogênicos
Coordenador: Igor Poletto

As formigas cortadeiras dos gêneros Atta e Acromyrmex são as principais pragas florestais no Brasil, causando milhões de reais em prejuízos anualmente. Estes insetos são sociais e cultivadores de fungos simbionte. A medida de controle mais utilizada para essas pragas florestais é o controle químico, principalmente com o uso de iscas com inseticidas, no entanto, são caras e prejudiciais ao meio ambiente. Assim, alguns fungos, como beauveria sp. e metharizhium sp. demonstram potencial para o controle biológico de formigas cortadeiras, demonstrando eficiência e capacidade para utilização em campo, sendo uma alternativa interessante visto que não há contaminação ambiental e possui um custo muito menor em comparação ao controle químico. Assim, o presente projeto tem por objetivo testar a viabilidade do uso do controle biológico de formigas cortadeiras utilizando fungos entomopatogênicos. Para isso, serão coletadas formigas vivas e mantidas em ambiente de laboratório para confronto com fungos entomopatogênicos. Fungos com potencial serão isolados e testados in vivo e in vitro quanto a sua eficiência. Os fungos considerados eficientes para o controle de formigas cortadeiras serão utilizados no desenvolvimento de um produto que seja de fácil conservação, manuseio e aplicação. Ao final deste projeto, espera-se encontrar fungos que sejam efetivos no controle de formigas cortadeiras contribuído, assim, para a melhoria dos plantios florestais, diminuição dos custos de controle e menor impacto ao ambiente.

Certificação florestal no atendimento da legislação ambiental e social no estado do Rio Grande do Sul
Coordenador: Ricardo Ribeiro Alves

A maior preocupação ambiental vem tendo reflexos em vários setores da economia e na maneira como os produtos são avaliados pelos consumidores. Especificamente com relação aos produtos florestais, o mercado passou a exigir garantias de que estes não sejam oriundos de atividades ilegais. Um dos instrumentos desenvolvidos para tal fim foi a certificação florestal, representada pelos sistemas Forest Stewardship Council (FSC), Programme for Endorsement of Forest Certification Schemes (PEFC) e o Programa Brasileiro de Certificação Florestal (ABNT/CERFLOR). A certificação florestal além de atestar o sistema de manejo da operação florestal, exige o cumprimento das legislações nacionais vigentes no país. O Brasil, apesar de possuir legislação ambiental e trabalhista bastante completa e complexa, apresenta, de forma geral, dificuldade em seu efetivo cumprimento. Nas organizações florestais, o quadro não é diferente. O presente projeto tem por objetivo avaliar a real contribuição dos sistemas de certificação na melhoria do desempenho do setor florestal do Rio Grande do Sul no que diz respeito ao atendimento de questões de âmbito legal, social e ambiental, considerando os Princípios que estão relacionados a estas questões. Para a obtenção dos dados buscar-se-ão as informações nos relatórios públicos das unidades de manejo florestal certificadas presentes no estado do Rio Grande do Sul. Com os resultados pretende-se avaliar as principais dificuldades (não conformidades) encontradas nos âmbitos legal, social e ambiental e as medidas adotadas pelas empresas florestais para atender às exigências dos sistemas de certificação florestal.